domingo, 29 de janeiro de 2012

Eu e minha namoradinha ( lésbicas )

Eu e minha namoradinha


            Photo2  Decidimos sair certa noite, eu e meu marido, e irmos dançar em uma boate. Pensamos em ir, pela primeira vez, em uma boate gls, pois sempre tivemos a curiosidade em conhecer uma do gênero, e achamos que era chegada a hora. Fomos, então, a uma famosa boate do tipo na Zona Norte do Rio, no bairro de Madureira. Quando lá chegamos, vimos na fila da bilheteria muitos casais homos formados, e praticamente nenhum hetero, e percbi vários olhares meio que disfarcados pra mim, quase na sua totalidade de mulheres, uma vez que eu estava vestida de forma nada convencional para aquele ambiente, bem putinha, com sainha bem curtinha e um top micro, que deixava meu decote bem generoso.
Ao entramos, vimos a boate bombando, cheia de gente, em sua maioria meninas lésbicas e homens homossexuais, que  não curtem mulheres. Logo, fui caçada com os olhos pelas garotas, que mesmo com suas namoradinhas, davam um jeito de disfarçarem e tirarem uma casquinha visual de mim.
Depois de muito dançarmos, veio uma garota baixinha, bonitinha, me cantar, jogando uma letra e, na hora de se apresentar, deu um selinho seguido de um beijo daqueles de tirar o fôlego. Começamos um gostoso amasso, com meu gato sempre por perto, hora somente olhando, ora se chegando pra perto de mim e me dando uma leve sarradinha. Foi quando tive a ideia de arrastar minha namoradinha para um cantinho escuro, o cantinho do sarro, e fizemos jus ao apelido do cantinho, num sarro bem gostoso, já com a participação do meu marido. Pra nossa surpresa, ele foi muito bem aceito por ela, que tinha um leve jeitinho de machinho. Logo, pensei que ela não deixaria ele se aproximar. Quando demos por conta, já rolava beijos entre eu e ela, eu e ele, ele e ela e nós três, num excitante beijo triplo.
Eu, já toda arrepiada, fui invedido pelos dedinhos dela, que começaram a tocar minha bucetinha toda melada por fora, antes de enfiá-los definitivamente na minha xaninha, primeiro com um, depois dois e, enfim, três dedos, socando bem no fundo, num vai e vem interminável, enquanto sua outra mão já tocava uma punheta na piroca do meu marido, que já estava, a esta altura, com a pica pra fora da calça..
Depois de muito fuder com aquela mão tarada, não aguentei e dei um pequeno urro, um gemido longo, sentindo que tinha chegado ao orgasmo, num gozo muito gostoso, como poucas vezes havia tido antes. Meu marido também se acabou, gozando e lambuzando de porra a mãozinha da minha namoradinha putinha, safadinha.
Beijei-a docemente e também ao meu marido, pois ambos estavam ali me proporcionando um momento como poucas mulheres poderiam experimentar, de prazer, gozo, excitação e erotismo.
Agora, espero você,amor, como striper virtual, no site http://www.michellystriper.com.br/ , para narrar outras histórias ou, simplesmente, fazer você ficar doido de prazer, sentindo-me toda sua na cam.

www.michellystriper.com.br veja meu site

@michellystriper Adicione-me no twitter, me siga, e saiba o que estou fazendo.




Um comentário: