domingo, 29 de janeiro de 2012

Sendo paga como uma puta

SENDO PAGA COMO UMA PUTA $$$
 

Certa vez, falei com meu marido que gostaria de ser tratada como uma puta. Ele sempre fantasiou coisas do tipo comigo e eu nunca havia tido coragem. Foi, então, que ele deu a ideia de procurar alguém pra pagar pra fuder como se paga um prostituta. Adorei a ideia e logo fui pra internet pra "desenrolar" com alguém, que não foi difícil conseguir. Lugar marcado, fomos os 3 para o mote, eu, meu pagante e meu marido escondido na mala do carro ( quem nunca fez isso rs rs )? Lá chegando, fui logo abraçada pelo meu amante e trocamos longos beijos deliciosos (adoro beijar), com meu marido me sarrando por trás.Virei-me de frente para meu maridinho, beijando-o muito, sendo sarrada,agora, pelo meu namorante, que foi baixando minha calcinha e tocando minha pele com sua língua quente. Lambeu o cuzinho e chegou a minha xaninha. Delirei. Beijava mais ardentemente meu marido. Meu amante me virou e me fez tirar sua pica dura da calça e me fez cair de boca naquela tora, já pingando de tesão. Chupei muito e fui até as bolas, subindo e descendo.Ele,então, me deitou na cama e caiu de boca na minha bucetinha, já toda encharcada, com as pernas escancaradas. Quando eu não aguentava mais de tesão, implorei para ele me penetrar com aquele tarugo, e ele não perdeu tempo. Socou fundo, entrando e saindo, deitado sobre mim.Depois, invertemos e eu quis cavalgar aquele macho louco de tesão, que suava e delirava de tanto que fudia minha bucetinha meladinha. Nisso, meu maridinho não aguentou mais só olhar e veio participar da brincadeira também. Neste momento, eu falei que queria uma DP, coisa que ainda não havíamos feito. Ele perguntou se eu tinha certeza disso, e eu falei que se ele não quisesse, eu chamaria o garçon e faria com ele e meu amante. Ele não titubiou. Mandou a pica dentro do meu cuzinho, devagarinho, entrando e me rasgando. Eu delirava sentindo aquelas duas varas dentro de mim, me preenchendo toda. A mulher que nunca sentiu isso não sabe o que está perdendo ( ou deixando de ganhar rs rs ). Quando estávamos todos uivando de tanto tesão e prazer, meu pagante disse que não iria aguentar muito tempo sem gozar, pois estava louco de tesão, que eu era gostosa demais, que era a experiência mais marcante da vida dele, fuder uma putinha na frente do maridinho, pagando por isso, como se estivesse se prestando do serviçõ de uma verdadeira puta de programa. Então, eu pedi pra ele me chamar de vadia, vagabunda, quenga, prostituta e outros sinônimos, e aí é que ele enlouqueceu, falando tudo isso e outras mais palavras desconexas. Quando ele disse que iria gozar, eu falei que queria sentir o seu leitinho na minha boca, e ele prontamente atendeu, retirando sua enorme pica da minha bucetinha e enfiando-a na minha boca, socando até a garganta, quando deu um grito tão alto que pensei que chamaria a atenção dos funcionários do motel, soltando jatos e mais jatos de uma porra quante, que foram sendo despejados na minha boca e lentamente fui permitindo que fossem descendo pela minha garganta, sorvendo todo o seu leite. Meu marido não aguentou ver toda aquela excitação e despejou seus jatos de porra no meu cu, em esguiços sincronizados e constantes.Senti aquela porra me invadindo. Que delícia. Caímos os 3 na cam, quase desfalecidos. Foi então que aconteceu outra parte excitante, que me deixa louca e feliz : o pagamento. Meu amante pegou 4 notas de 50 reais e as colocou sobre meu corpo, espalhadas e desalinhadas. Senti-me uma verdadeira garota de programa, prestando um serviço ( e muito bem prestado rs) ao cliente, que saiu satisfeito e feliz, já programando uma proxima vez. Isso me deixou muito mais excitada, que tive que dar uma outra foda gostosa com meu marido ao chegar em casa. Mulher puta, casada e feliz.

Um comentário: